terça-feira, 25 de outubro de 2016

Torneio feminino em Manaus marca despedida de Formiga

Torneio feminino em Manaus marca despedida de Formiga
A oitava edição da Copa CAIXA Internacional de Seleções de Futebol Feminino, que acontece entre os dias 7 e 18 de dezembro, será a última competição da volante com a camisa da Seleção Brasileira feminina25/10/2016 às 14:56 - Atualizado em 25/10/2016 às 14:57Show forAcritica.com*Manaus (AM)
A Arena da Amazônia, localizada na Zona Centro-Oeste da capital, receberá a oitava edição da Copa Caixa Internacional de Seleções de Futebol Feminino, que acontece entre os dias 7 e 18 de dezembro. E um fato pra lá de especial vai marcar o evento em Manaus. Isso porque, a competição será a despedida da jogadora Formiga da Seleção Brasileira. A aposentadoria de uma das mais importantes protagonistas do futebol mundial, será celebrado no estádio mais bonito do Brasil. 
O anúncio oficial da aposentadoria foi feito nesta terça-feira (25), em coletiva à imprensa, realizado no Salão Bossa Nova, da Arena da Amazônia. Na ocasião, além da medalhista olímpica, estavam presentes o titular da Sejel, Fabricio Lima, o técnico da seleção brasileira, Vadão, o superindentente regional da Caixa, Mário Tonon, e o diretor da SportPromotion, Alfredo Carvalho.
“Estou muito feliz de poder encerrar a minha carreira aqui em Manaus. Quero me despedir com chave de ouro e fico contente por esta recepção que Manaus sempre proporciona ao futebol feminino. Quero ajudar a conquistar este título do Torneio aqui. Eu estava ensaiando algum tempo essa despedida, não quis perder a oportunidade de participar de uma Olimpíada no meu País, e agora chegou a hora”, destacou ela, ao comentar sobre uma possível ‘sucessora’.
“Falei com minha família sobre a despedida e sei que este é um momento bom, é algo que me deixa triste, mas pretendo estar ajudando a Seleção fora das quatro linha. Acredito que a Andressinha poderá se destacar. Ela é nova, tem personalidade, é mais técnica e tenho certeza que ela vai saber comandar”, comentou a única jogadora de futebol do mundo a participar de seis Olimpíadas.
Para o jogo, segundo o secretário Fabricio Lima, uma carga de 42 mil ingressos serão colocados à disposição da população. Além disso, 20% da renda do evento será repassado ao Fundo Estadual de Esporte e Lazer (Feel), garantindo a maior porcentagem do ano ao programa.
“É uma felicidade enorme receber pela primeira em Manaus a Copa Caixa. Nosso futebol feminino está em ascensão e creio que o público vai vir prestigiar em peso. Além disso, é importante salientar que 20% do valor arrecadado do torneio, através da SportPromotion, será repassado ao Feel, garantindo assim a maior porcentagem de 2016 a este benefício que auxilia na promoção do esporte local. Assim, que já fecharemos bem o ano e começaremos 2017 muito bem”, destacou.
De acordo com o técnico da seleção canarinho, Vadão, o esforço é que outros grandes nomes da Seleção disputem o torneio, como a jogadora Marta.  “Esse torneio é muito importante. A gente deve uma satisfação para Manaus, pois nas Olimpíadas poupamos algumas (jogadoras) aqui, e agora tentaremos trazer as nossas melhores atletas”, disse ele, ao falar sobre os times adversários.
“Nós já jogamos com a Costa Rica, assim como a Rússia, e a única que eu não conheço é a Itália e faz tempo que o Brasil não joga com ela. Por isso, vamos tentar alguns vídeos, vamos contar com nosso analista de desempenho para a gente estudar nosso adversário. A Rússia tem um time forte e alto, e a Costa Rica se assemelha ao time do Brasil, com estatura baixa e ágil”, frisou.
Disputas
Como em todos os outros anos, as partidas do mais importante torneio internacional de seleções de futebol feminino das Américas acontecem às quartas-feiras e domingos, em rodadas duplas, e contará com as seleções nacionais de Brasil, Itália, Rússia e Costa Rica para uma intensa disputa.
A fórmula é simples: nos dias 07, 11 e 14, haverá confronto direto em turno único, todos contra todos. As duas seleções melhores classificadas disputam a grande final no domingo, dia 18. Antes da final, haverá ainda o jogo de disputa pelo terceiro lugar, totalizando oito jogos na competição.
“A Copa Caixa promete sempre muita emoção, muitos gols e, claro, uma oportunidade de curtir o futebol como um programa familiar, com as arquibancadas sempre lotadas com mulheres, crianças e famílias inteiras. Este ano a Copa Caixa celebrará a despedida da nossa Formiga da Seleção Brasileira e será a última oportunidade de ver esta fera jogando com a camisa do Brasil”, destacou Alfredo Carvalho, ao anunciar que os ingressos do evento serão colecionáveis, com cor, frases e artes diferenciadas para os amantes do futebol.
Ingressos
Os ingressos para Copa CAIXA estarão disponíveis ao valor único de R$30, tanto para os beneficiários de meia-entrada (idosos, PCDs, estudantes), como para o público em geral que na hora da compra apresentar 1 kg de alimento não perecível. Aqueles que optarem por não levar o alimento, pagam valor inteiro de R$ 60.
Os bilhetes poderão ser comprados no site www.bilheteriadigital.com a partir de 01 de novembro de 2016 ou nas bilheterias do estádio a partir de 1º de dezembro de 2016.
História
O Torneio Internacional de Futebol Feminino começou em 2009, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Desde sua primeira edição, se caracterizou por levar grandes públicos aos estádios nos jogos do Brasil e por alcançar médias expressivas na audiência, comprovando o potencial da modalidade no país.
Em 2013 e 2014, a Copa CAIXA foi realizada em Brasília, no novo Mané Garrincha. Buscando atender a torcida nordestina, a organização do evento foi a Natal, onde firmou parceria com a Arena das Dunas para a realização da sétima edição, em 2015.
Depois do sucesso de público dos jogos das olimpíadas, a seleção brasileira volta a Manaus para receber o carinho da torcida amazonense.

fonte: a critica

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Zebra na Rio-2016: Djokovic chora o fim do sonho olímpico

Zebra na Rio-2016: Djokovic chora o fim do sonho olímpico

Número 1 do mundo, sérvio perde para o argentino Del Potro na primeira rodada do torneio masculino de tênis: "Foi uma das mais duras derrotas da minha vida"O tenista sérvio Novak Djokovic se emociona após ser eliminado pelo argentino Juan Martin Del Potro, na primeira rodada do torneio de simples. O título olímpico é o único ainda não conquistado pelo atual número um do mundoO tenista sérvio Novak Djokovic se emociona após ser eliminado pelo argentino Juan Martin Del Potro, na primeira rodada do torneio de simples. O título olímpico é o único ainda não conquistado pelo atual número um do mundo (Clive Brunskill/Getty Images)

Foi um pesadelo que se repetiu. O gigante fantasma argentino de quatro anos atrás reapareceu. Juan Martin Del Potro, o homem que havia lhe tirado a medalha de bronze em Londres aprontou outra vez. E agora de maneira mais surpreendente. Com uma atuação espetacular, o tenista número 141 do ranking mundial eliminou o sérvio Novak Djokovic, número 1, por 2 sets a 0 (7/6, 7/6), na primeira rodada do torneio olímpico de tênis da Rio-2016. Ainda na quadra, Djoko não segurou as lágrimas com o inesperado e precoce fim do sonho da medalha de ouro, um dos poucos títulos que ainda não fazem parte de sua coleção de 66 troféus.
“Me senti como se estivesse no meu país. Eles me deram força, mas não deu. Não é a primeira vez que perco um jogo de tênis, mas Olimpíada é diferente. Com certeza é uma das mais duras derrotas da minha carreira”, disse Djokovic, que mesmo cabisbaixo após a derrota atendeu os jornalistas pacientemente na zona mista.
O próprio argentino, que obteve uma vitória fantástica e dramática após se recuperar de uma lesão no joelho, se sensibilizou com o choro de seu, pode-se dizer assim, freguês olímpico. “Fiquei tocado com o choro do Djoko. Respeito muito ele, fizemos uma partida espetacular, mas foi uma noite de sonho para mim”, disse Del Potro.
Resultados – A precoce eliminação de uma das maiores estrelas da Olimpíada é um balde de água fria, em especial, nos amantes de tênis. Isso porque, uma semana antes da competição começar, outro ídolo, o suíço Roger Federer, machucado, anunciou que não viria mais. Quem pagou até 1 000 reais no ingresso da final espera agora que aos menos as outras duas estrelas que restam cheguem lá. Mais cedo, o britânico Andy Murray venceu o sérvio Viktor Troicki (6/3, 6/2), enquanto o espanhol Rafael Nadal derrotou o argentino Federico Delbonis por 6/2 e 6/1.